Azia durante a Gravidez

Gravidez é um momento muito maravilhoso na vida de uma mulher, concorda? Mas os sintomas realmente são muito complicados de lidar.

Aqueles enjoos matinais, vontades bizarras de comer coisas estranhas, tonturas e quedas de pressão acabam se tornando frequentes durante a sua rotina, sem falar que o banheiro se torna nosso novo melhor amigo. Porém, dentre todos esses sintomas, há um que ganha na escala de incômodo: a famosa e ardente azia.

Pois é, a azia consegue vencer o enjoo e as dores de cabeça na escala de incomodo. Essa dorzinha chata acompanha a mãe praticamente a gravidez inteira, mas nem sempre é esclarecido sua intensidade e maior frequência durante a gestação.

Afinal, o que é a azia?

A azia nada mais é do que a intensidade e maior produção de suco gástrico no estômago. Ele é responsável pela digestão dos alimentos e a separação dos nutrientes para o corpo.

A azia está propicia a surgir em todas as pessoas, porém em maiores escalas nas gestantes. Conforme o corpo e o sistema imunológico ainda estão em fase de se acostumar com a presença do bebê, o estomago acaba sendo bastante afetado também.

As paredes internas se tornam mais sensíveis transformando sua película protetora mais fina, como a produção de suco gástrico e a acidez do mesmo está bem mais intensa, ele acaba afetando com maior agressividade as paredes estomacais, provocando maior dor e sensibilidade durante a gravidez.

Por que a azia é mais presente durante a gestação?

A azia costuma ser mais frequente na gestação pelo fato da diminuição da película protetora das paredes do estômago, maior produção e acidez do suco gástrico e aumento do hormônio chamado progesterona.

Esse hormônio é responsável pela válvula que separa o estômago do esôfago. Quando a gravidez surge, a progesterona acaba fazendo a valvular relaxar permitindo que o suco gástrico, além de causar ardência nas paredes estomacais, suba para o esôfago e a garganta, dando a sensação de desconforto e queimação.

E algo que também ajuda o liquido a subir para o esôfago e para a garganta é o fato de a barriga estar se ampliando, fazendo os órgãos se espremerem e acabar elevando o estômago. Isso ajuda a passagem do suco gástrico para o esôfago, e com não existe paredes protetoras nessa região, a queimação acaba sendo mais aguda. 

O que fazer para melhorar a azia durante a gravidez?

A azia pode ser melhorada com medicamentos segundo orientação médica. Alguns medicamentos não podem ser ingeridos durante a gravidez pelo fato de serem prejudiciais para o bebê, por isso é obrigatório ingerir apenas os indicados por especialistas.

Se você for uma mãe que gosta de tratar e cuidar naturalmente das enfermidades, vamos te dar dicas caseiras e que não vão fazer mal para seu bebê, te proporcionando alivio e conforto referente a essa sensação tão ruim e incomodativa.

Os alimentos ácidos e com industrializados são os principais vilões para uma azia aguda e prolongada. Infelizmente, você precisará passar longe dos seguintes alimentos: pimentão, mostarda, produtos industrializados, sucos de saquinho, condimentos, bebidas que contém cafeína, molhos de tomate, frutas acidas e indigestas, todos esses alimentos são eficazes para tornar o suco gástrico mais ácido.

Como a digestão começa a se tornar um pouco mais complicada durante a gravidez, você pode pensar que bebendo líquidos vai ajudar o estômago a digerir melhor, certo? Lamentamos informar, mas isso está fora de cogitação se sua intenção é se livrar da azia de uma vez.

Os líquidos acabam deixando o estômago com sensação de inchaço, o que impede de o suco gástrico fazer sua função de digerir os alimentos, dando espaço para o liquido ser ingerido antes dos alimentos. O liquido ácido já possui uma quantidade exata de ácido para digerir determinada quantidade de alimento, se tornando mais intenso ao perceber que o tempo de digestão irá demorar pela passagem dos liquido, provocando a azia.

Evite deixar antes de qualquer refeição. Como o processo de digestão demora entre um há duas horas para digerir um alimento por completo, se se deitar assim que terminar de comer, com certeza o suco gástrico irá subir para o esôfago e irá ocorrer a queimação pela garganta. E esse conselho é válido após as jantas, preferindo que você espere de duas a três horas para ter certeza que todo o alimento foi processado e não há presença mais do ácido no estômago.

Evitar mascar chiclete ou qualquer outra coisa que simule que você esteja mascando algum alimento ajuda muito a evitar a azia. O movimento da mastigação passa a informação para o estômago que uma nova quantidade de alimento está prestes a ser ingerido, o que faz o cérebro liberar o suco gástrico até o estômago. Porém, como não há nada para ser ingerido, o suco acaba ficando parado no estômago provocando a ardência e a queimação.

E se caso você fazer todos esses procedimentos e ainda sim sentir azia, tome um copo de leite gelado e aguarde alguns minutos, o leite possui o poder de cortar qualquer acidez, impedindo que o suco gástrico faça sua função de digestão, sedo absorvido junto com o liquido. Se caso não quiser tomar um copo, enchê-lo até a metade já ajuda bastante.

A azia pode ser prejudicial para meu bebê?

De maneira alguma. O bebê não é prejudicado pela azia, apenas a mãe por dificultar a ingestão dos devidos alimentos que talvez possa estar dentro da dieta que sua nutricionista preparou, podendo causar perda de peso.

Há superstições de que a azia é um sinal informando que o bebê nascerá com muito cabelo. Bem, se isso é verdade ou não, mal não fará em acreditar.

E aí, preparada para receber seu cabeludinho nos braços daqui alguns meses, mamãe?

Mesmo sabendo que é algo que incomoda bastante e causa um grande desconforto, ver aquele lindo bebê nos seus braços e se lembrar de tudo que você passou para precisar tê-lo ali é muito gratificante.

WhatsApp chat